Tudo sobre o FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), foi criado em 1999 pelo Ministério da Educação (MEC). O programa nasceu com o objetivo de facilitar o acesso à educação superior  e financiar a graduação de estudantes de baixa que não tenham condições de arcarem com as mensalidades de uma instituição de ensino superior. 

Como funciona o Fies 

Oferecido pelo Governo Federal, o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) já ajudou milhares de estudantes de baixa renda espalhados por todas as regiões do país. Com as inscrições abertas duas vezes ao ano, para participar do programa é necessário que o estudante tenha participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010, alcançado uma pontuação mínima de 450 pontos e não ter zerado a redação. O processo de seleção dos candidatos é baseado nas notas obtidas no Enem, ou seja, quanto maior a pontuação do estudante, maiores são as chances de se conseguir o financiamento para as vagas mais disputadas. 

Com o Novo Fies, surgiu as modalidades Fies e P-Fies. Para participar da categoria Fies é necessário que o estudante tenha renda familiar bruta, por pessoa, de até três salários mínimos. Já para o P-Fies, o aluno terá que comprovar renda familiar mensal, por pessoa, de três salários mínimos até cinco salários mínimos.

Contudo, os estudantes contemplados com o auxílio, terão esse benefício válido até o final do curso. No entanto, após a graduação, o estudante deverá pagar de volta o valor emprestado pelo governo. O pagamento da dívida funciona da seguinte forma: 

Decorrer do curso

Ao longo do curso, o estudante deverá pagar uma pequena parcela que é destinada ao encargo operacional fixado no contrato e seguro de vida, que é obrigatório para se conseguir o benefício. 

Carência e Amortização

Segundo a Medida Provisória (MP) nº 785, de 6 de julho de 2017, os contratos do financiamento não possui mais os 18 meses de carência. Ou seja, ao finalizar o curso, o beneficiado já deverá iniciar a etapa de amortização do valor emprestado. 

Os graduados que tiverem empresa ou estiverem empregados após a conclusão do curso, automaticamente, as parcelas do valor emprestado pelo governo serão descontadas da folha de pagamento do beneficiado. Caso o estudante não tenha fonte de renda, o valor deverá ser pago em prestações mensais equivalentes ao pagamento mínimo.

Como se inscrever no Fies 

Para participar do programa é bem simples. O estudante deverá acessar ao site do Fies e informar CPF e data de nascimento para dar início ao processo de inscrição. Passado esta etapa, o aluno terá de preencher os campos indicados com senha e e-mail válido. Concluída essa etapa, automaticamente o sistema enviará ao E-mail do aluno um link para a efetivação do cadastro. 

Depois ativar o link, o candidato deverá voltar ao site do Fies e clicar na opção “Já sou cadastrado”, e informar o CPF e senha registrado, desta forma, o aluno terá acesso aos campos que deverão ser preenchidos com os dados pessoais do estudante. Vale lembrar, que além dos dados do aluno, será necessário também fornecer informações sobre os componentes do grupo familiar e a renda mensal dos mesmos. 

Quem pode participar? 

Para conseguir disputar o benefício de financiamento  do ensino superior através do Fies, é necessário que o candidato interessado se enquadre e siga alguns critérios estabelecidos pelo programa. Confira abaixo quais são.

  • Candidatos que tenham realizado a prova do Enem a partir de 2010 e obtido uma pontuação mínima de 450 e não ter zerado a redação; 

  • Estudantes contemplados com bolsa parcial de 50% do Programa Universidade Para Todos (Prouni);

Além dos requisitos citados acima, existem alguns critérios socioeconômicos de cada modalidade do programa, tais como:   

  • Modalidade Fies ou modalidade I: Destinada a estudantes que tenham renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos;
  • Modalidade P-Fies: Voltada para estudantes que tenham renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. 

Nota de corte 

A nota de corte é a menor nota obtida para que o aluno fique entre os selecionados em determinado curso, levando em consideração também o número de vagas e total de candidatos inscritos em um mesmo grupo de preferência. Ou seja, o sistema do Fies compara todos os resultados obtidos pelos estudantes que estão concorrendo a uma vaga no mesmo curso, faculdade, modalidade e turno, para determinar a menor nota que o aluno terá de alcançar para conquistar aquela oportunidade. Sendo assim, se o seu curso tiver apenas 12 vagas, a nota de corte será da décima segunda  pessoa. Então se você estiver entre os 12 alunos aprovados, seu benefício já estará garantido. 

Lista de Espera do Fies 

A lista de espera do Fies é  destinada para os estudantes que não conseguiram ser aprovados na chamada regular do programa. Deste modo, como uma forma de repescagem, a lista de espera dar a esses candidatos uma chance de conquistarem através das vagas remanescentes, uma oportunidade de ingressarem no ensino superior. Diferente do ProUni e Sisu, o Fies inclui automaticamente os estudantes não selecionados na primeira chamada na lista de espera. 

Como ver o resultado do Fies?

O candidato poderá conferir o resultado do Fies através da página oficial do programa. Basta o aluno fornecer CPF e senha já cadastrados no ato da inscrição e conferir se o nome do estudante se encontra na lista de aprovados. Caso não consiga pelo site, o aluno poderá entrar em contato com a instituição de ensino para qual optou e verificar o resultado. 

Independente do forma escolhida, é muito importante que o candidato fique atento aos prazos para a entrega da documentação na instituição de ensino em que foi aprovado, uma vez que, o período é muito curto, apenas cinco dias. 

Cronograma do Fies

Perder a data ou horário de um compromisso é bem ruim né? Para evitar este tipo de imprevisto, é aconselhável que o estudante se mantenha atento ao cronograma do Fies. Através dele, o candidato poderá se informar sobre o período de inscrição, lista de espera, data de divulgação dos resultados e prazos para a efetivação da matrícula. Os prazos destinados a cada etapa do programa podem ser encontrados na página oficial do Fies.

Diferenças entre Fies e ProUni

Cursar o ensino superior nos dias hoje, tem se mostrado cada vez mais necessário na vida de inúmeros jovens brasileiros. Afinal, um diploma de nível superior completo, pode contar e muito na hora tentar ingressar no mercado de trabalho. Sendo assim, com o objetivo de facilitar o ingresso da geração futura nas universidades públicas e privadas espalhadas por todo o território nacional, o governo criou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e desenvolveu os programas:  Fies e ProUni. 

Fies

Criado pelo Ministério da Educação (MEC), o  Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um programa oferecido pelo governo que tem como finalidade ajudar estudantes de todas as regiões do país a terem acesso à educação superior. Por meio do Fies, o aluno poderá estudar pagando apenas uma taxa mensal até o término do curso. No entanto, depois de formado, o estudante deverá devolver através de parcelas, todo o valor emprestado pelo governo. 

Depois da atualização do programa, o Fies agora consiste em duas etapas diferentes de financiamento. A primeira, consiste em oferecer vagas com taxa zero de juros para alunos que possuírem renda mensal bruta de até três salários mínimos. Desta forma, o estudante passa a pagar as prestações do curso, de acordo com a atual realidade econômica em que se encontra. 

Já a segunda etapa, é destinada para os participantes que tenham renda mensal bruta de até cinco salários mínimos. Com o auxílio disponibilizado por parcerias com as instituições financeiras privadas, as formas de financiamento são definidas em conjunto com a instituição de ensino. Vale lembrar, que dependendo do banco fiador, os juros do programa podem variar. 

ProUni

O Programa Universidade para Todos (ProUni) foi criado com o objetivo de promover a inclusão educacional e  facilitar o ingresso de jovens de baixa renda no ensino superior. Para atingir tal propósito, o programa oferece bolsas de estudo parciais e integrais em diversas faculdades do país. A bolsa disponibilizada pelo programa é válida até a conclusão do curso, mas para isso, o bolsista deverá apresentar um proveito acadêmico de 75% nas matérias cursadas em cada semestre letivo. É importante ressaltar, que os alunos contemplados com a bolsa de estudo parcial, deverão durante o curso, arcar com o restante do valor das mensalidades da instituição . Já aqueles que conseguiram a bolsa integral, não tem a necessidade de arcar com nenhum valor. Por fim, diferente do Fies, os estudantes participantes do ProUni não precisam devolver nenhuma quantia ao governo. 

Faculdades participantes do Fies 

O número de faculdades participantes do Fies aumenta a cada edição do programa. Sendo assim, não existe uma listagem definida. Ao abrir as inscrições, o candidato poderá conferir a lista das instituições participantes no site do Fies, basta acessar a página destinada ao participante.

Quais os financiamentos oferecidos pelo Fies ?

Com o Novo Fies, o Ministério da Educação (MEC) dividiu os tipos de financiamento dos programa em três modalidades, sendo elas: 

  • Modalidade Fies I: Um financiamento concedido diretamente do governo ao estudante, este terá um baixo custo e juros zero para pagar assim que se graduar. Esta modalidade é destinada para estudantes que tenham renda mensal familiar de até três salários mínimos.

  • Modalidade Fies II: Financiamento oferecido por instituições financeiras (bancos) que utilizam recursos dos Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento para fornecer o benefício aos estudantes com renda familiar mensal de até cinco salários mínimos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste custeados. As taxas de juros irá variar de acordo com o banco.

  • Modalidade Fies III: Destinada também para estudantes que tenham renda  familiar mensal de até cinco salários mínimos. No entanto, é voltada para todas as regiões do Brasil e o financiamento concedido será custeado com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). As taxas de juros irá variar de acordo com o banco.

Vale lembrar, que para a modalidade dois e três, não existe lista de espera. Para se inscrever no Fies e P-Fies, o candidato deverá acessar ao site do Fies Seleção e preencher a ficha de inscrição informando o seguintes dados: CPF, data de nascimento e E-mail válido. Feito isso, só seguir o passo a passo informado pelo programa.

Critérios de desempate fies

O critério de desempate do Fies é bem parecido com o do Prouni. Sendo assim, caso haja notas idênticas no Enem, o desempate ocorrerá primeiramente na comparação das notas de redação. Caso os candidatos venham a ter notas iguais também nesta modalidade, o programa seguirá os seguintes critérios:

  • Maior nota obtida na prova de linguagens, códigos e suas tecnologias;
  • Maior nota obtida na prova de matemática e suas tecnologias;
  • Maior nota obtida na prova de ciências da natureza e suas tecnologias;
  • Maior nota obtida na prova de ciências humanas e suas tecnologias.

Vagas Remanescentes

As vagas remanescentes são oportunidades que os candidatos aprovados na chamada regular não desejaram ocupar. Estas, são destinadas  aos estudantes que tenham renda mensal familiar de até três salários mínimos e não foram aprovado na chamada única. Para fazer a inscrição nas vagas remanescentes, o candidato deverá acessar ao site do FiesSeleção e realizar o seu cadastramento, informando CPF e data de nascimento. Com esses dados, o sistema analisa se o candidato prestou o Enem e se obteve nota igual ou superior a 450 pontos. Feito a análise, o sistema enviará um E-mail de confirmação para a conclusão do cadastro.  Vale lembrar, que para a modalidade P-Fies não existe lista de espera.

CPSA

A Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) é o setor responsável na universidade por acompanhar e orientar os estudantes em diversos assuntos. A CPSA tem por finalidade recolher a documentação fornecida pelo estudante e validar as informações prestadas no período de inscrição do Fies. A comissão é composta por cinco membros, estes deverão compor o corpo discente, docente e administrativo da universidade. As instituições participantes do programa habilitam o acesso de seus membros no sistema, a fim de consultar, validar a inscrição do aluno, emitir os documentos de regularidade e acompanhar a legislação do Fies. É de extrema importância que o estudante compareça a CPSA de sua universidade portando toda a documentação necessária para o cadastramento. Como:

  • Carteira de Identidade ou Carteira Nacional de Habilitação;
  • Comprovante de Residência;
  • Comprovante de Renda. Exemplo: Contracheque, Extrato Bancários e etc;
  • Histórico Escolar;
  • Comprovante de participação no Enem.

Feito isso, a Comissão irá instruir, o passo a passo de como proceder, e a documentação necessária para apresentar na instituição financeira responsável pelo financiamento.

Cursos participantes do Fies

O Fies oferece praticamente todos os tipos de cursos de graduação que você imaginar. Então fique de olho, e confira abaixo alguns dos cursos oferecidos no programa. 

Administração Análise e Desenvolvimento de Sistemas
Arquitetura e Urbanismo Artes
Automação Industrial Aviação Civil
Banco de Dados Educação Física
Design Gráfico Design de Moda
Design Comunicação Social
Comunicação Institucional Ciências Econômicas
Ciências Contábeis Ciências Biológicas
Biotecnologia Biocombustíveis
Biblioteconomia Hotelaria
História Gestão Hospitalar
Gestão Financeira Gestão de Recursos Humanos
Gestão da Qualidade Geografia
Fisioterapia Física
Filosofia Farmácia
Engenharia Mecânica Engenharia Elétrica
Engenharia Civil Engenharia Ambiental
Medicina Veterinária Medicina
Marketing

Matemática

Logística Letras
Nutrição

Jogos Digitais

Segurança Pública

Relações Internacionais

O que é e quem pode ser fiador?

Fiador é o responsável por pagar com o valor do financiamento emprestado pelo governo após o término da faculdade. Isso, caso o formado não tenha ou possua meios de arcar com as parcelas estabelecidas pelo Fies.  O programa utiliza dois tipos de financiamentos, vejas quais: 

  • Fiança Convencional: O candidato poderá escolher até dois fiadores que tenham renda igual ou superior ao valor da mensalidade paga pelo estudante.
  • Fiança Solidária: O aluno poderá escolher um grupo de três a cinco amigos. Cada um dos estudantes se torna um fiador e se compromete com o valor total. Agindo um como fiador do outro. É obrigatório que os estudantes sejam da mesma instituição.

O Fies não aceita como fiador

  • Cônjuge ou companheiro(a) do estudante;
  • Estudantes que têm financiamento aberto no Programa de Crédito Educativo (PEC/Creduc);
  • Estrangeiros (exceto cidadãos portugueses que atendam a determinados critérios legais);
  • Estudante que já tenha ou teve financiamento do Fies.

Documentos necessário para efetivação do fiador 

  • Documento de identificação oficial com foto;
  • CPF;
  • Certidão de casamento, se for o caso;
  • CPF e documento de identificação do cônjuge, se for o caso;
  • Comprovante de residência;
  • Comprovante de rendimentos (exceto no caso de fiança solidária);

Situações em que não é necessário ter um fiador 

  • Candidatos que tenham bolsa parcial no Programa Universidade para Todos (ProUni)  e usam o FIES para pagar a outra metade do curso;
  • Alunos que estão regularmente matriculados em cursos de licenciatura (que formam professores para o ensino fundamental e médio);
  • Estudantes que comprovarem renda familiar bruta mensal de no máximo um salário mínimo e meio por pessoa. 

Aditamento do Fies

O aditamento do Fies é a renovação de contrato realizada semestralmente através do portal do SisFies. Essa renovação tem por objetivo fazer com que o aluno continue no programa de financiamento oferecido pelo governo. O portal do SisFies é aberto após a solicitação da Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA), responsável pela renovação de contrato do aluno. Feita a solicitação pela CPSA, o estudante ou responsável estará liberado para preencher o cadastro com seus dados no portal do SisFies. Preenchido os dados para a renovação do contrato, o sistema informará automaticamente se o processo é simplificado ou não. Caso venha a ter algum erro nas informações cadastradas, o estudante deverá comparecer a CPSA de sua instituição, a fim de pedir a correção ou auxilio no cadastro. Vale ressaltar, que é de total responsabilidade do aluno conferir e confirmar se os valores dos semestres letivos lançados no sistema estão corretos.

Clube de Bolsas, o que é aditamento simplificado e não simplificado? O aditamento simplificado se dar quando não existe qualquer alteração no contrato. Já o não simplificado, é quando há existência de alguma alteração na contratação do benefício. Para o aditamento simplificado, o aluno deverá apresentar-se a CPSA de sua universidade e fazer a retirada do Documento de Regularidade de Matricula (DRM). O documento deverá estar devidamente assinado pelo presidente ou vice-presidente da CPSA. Caso o aditamento seja o não simplificado, o estudante também deverá fazer a retirada do DRM e em seguida comparecer a sua instituição financeira (banco) acompanhado de seu fiador ou responsável. Caso o beneficiado não renove o contrato, o mesmo perderá o benefício oferecido pelo governo. 

Abatimento de 1% na bolsa

O abatimento de 1% no valor da bolsa, é destinado para professores que estejam trabalhando na rede pública com jornada de trabalho de no mínimo 20 horas semanais. Para fazer uso deste benefício, o candidato deverá seguir alguns critérios:

  • É necessário que o mesmo esteja na condição de graduado ou estudante matriculado em algum curso de licenciatura.
  • Ter 1 ano de trabalho ininterrupto como professor.
  • Solicitar o abatimento e as futuras renovações por meio do sistema disponibilizado pelo Mec.
  • Possuir os meses trabalhados e posteriores informações aprovadas pela Secretaria de Educação do Município, Estado ou Distrito Federal.
  • Estar cumprindo com os juros trimestrais, caso o estudante esteja na fase de carência com as parcelas do financiamento.

O abatimento tem por objetivo abaixar mensalmente 1% do saldo devedor do aluno, incluindo os juros devidos de contratação do financiamento do Fies. O candidato que desejar usufruir do benefício, deverá realizar o pedido no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Feito o pedido, o FNDE irá disponibilizar um portal especifico para que o estudante faça o requerimento. Solicitado o abatimento, o candidato deverá informar os dados do contrato de financiamento e da Secretaria de Educação ou Saúde em que esteja vinculado. Depois do fornecimento dos dados, o estudante receberá uma solicitação de abatimento. Posteriormente, o FNDE informará a Instituição financeira (banco) responsável, o cancelamento das cobranças feitas referente a amortização do financiamento. A validação do abatimento é concedida  junto as Secretarias de Saúde e Educação, após a comprovação das informações prestadas pelo candidato. Caso o beneficiado estiver com as parcelas do Fies atrasadas, o mesmo não poderá solicitar o abatimento de 1%, até que esteja com os valores e juros do financimento regularizados. 

Quer ficar por dentro de tudo sobre as melhores faculdades?